1870

Fora de Portas era uma pequena faixa territorial que ganhou esse nome por estar no sentido norte, fora das portas da cidade do Recife. Lá, era uma área deserta onde só haviam ruínas do Forte de São Jorge, onde hoje se encontra o Recife Antigo.

Nesse lugar, tinha a Capela de Nossa Senhora do Pilar e, no entorno da sua praça, formou-se um arruado. Construída no século XVII, ela está localizada no Bairro do Recife, na Rua Nova do Pilar, próximo a Prefeitura.

1875

Foi nessa praça atrás da igreja do Pilarque o português Luiz da Fonseca instalou a sua primeira padaria e biscoutaria Pilar.

Nessa época, os biscoitos eram importados da Inglaterra, mas, em 1875, se iniciou, de uma forma muito rudimentar, a fabricação de biscoitos em uma cortadeira manual.

Luiz da Fonseca
Joseph Turton

1895

Em 1895, desembarcou em Recife um engenheiro mecânico inglês chamado Joseph Turton, que representava a empresa Joseph Backer & Sons, fabricante de equipamentos industriais para fabricação de biscoitos.

Luiz da Fonseca, dono da biscoutaria Pilar, encomendou duas máquinas a Joseph Turton na condição dele ficar no Brasil para dar assistência técnica. Joseph ficou e mais tarde tornou-se gerente da então fábrica de biscoito.

1906

Em 1901, Joseph Leonard Turton se casa com uma das filhas de Luiz da Fonseca e garantem herdeiros que teriam a árdua tarefa de manter a fábrica.

Em 1906, morre Luiz da Fonseca.

Joseph Leonard Turton assume a empresa junto com seu filho, também chamado de Joseph Turton. Juntos popularizaram os produtos, expandiram as instalações industriais e a produção de biscoitos, adquirindo a 1ª máquina automática para forno contínuo.

1930

Joseph L. Turton convocou seu outro filho, Walter Turton, para se integrar com ele e seu irmão na luta pela expansão e desenvolvimento da Fábrica Pilar.

No ano seguinte, foi instalada a primeira máquina de massas para sopa e mais duas máquinas de pressão de rosca mecânica para macarrão.

1938

Joseph Leonard Turton falece, ficando em seu lugar sua viúva, dona Joana Oliveira Turton. Desse jeito, a velha firma Luiz da Fonseca Oliveira & Cia foi transformada numa sociedade anônima.

1950

A Pilar cresceu admiravelmente. Foram adquiridas mais máquinas automáticas de fabricação de biscoitos e o prédio mais uma vez foi ampliado

1960

A Pilar tendo a necessidade de produzir a sua própria farinha para garantir uma melhor qualidade dos produtos, adquiriu um moinho com capacidade de ensilagem de 2.500 toneladas.

1996

A fábrica Pilar foi adquirada pela Fleischmann & Royal, empresa que no Brasil representava e Nabisco Internacional.

2001

A fábrica deixa de ser multinacional, voltando a sua origem de princípio, para as mãos da família Turton, que foi uma das antigas donas.

2011

Em abril de 2011, através do grupo M. Dias Branco, a Vitarella adquiriu a totalidade das ações da Pilar.

2014

Em abril de 2014, ocorreu o lançamento da nova Pilar. Uma nova marca, um novo conceito, novas embalagens, novos produtos e uma nova campanha.

2015

A Pilar completou 140 anos de história e em comemoração à data, resgatou e relançou as embalagens da Cream Cracker Tradicional, Água e Sal, Integral e a da Maizena e Maria Pilar Tradicional que fizeram sucesso nas décadas de 80 e 90.

2017

A Pilar se reposicionou no mercado e lançou uma nova identidade visual, com um conceito que resgata os losangos utilizados nas embalagens das décadas 1980 e 1990, criados pelo pintor pernambucano Lula Cardoso Ayres, e tão fortes na memória dos pernambucanos, trazendo assim as boas lembranças de várias gerações.